Momento para modernizar

O setor da Construção Civil segue sofrendo impactos da pandemia da Covid-19, com uma imensidão de canteiros de obras paralisada. Segundo apontou o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em matéria publicada pelos jornais Mogi News e Dat, na semana passada, o município de Mogi das Cruzes registrou, de forma geral, o primeiro saldo negativo deste ano, quando as contratações formais foram inferiores aos desligamentos.

Em maio, o saldo negativo foi de 129 postos. Apenas no setor de Serviços, o saldo negativo foi de 297, pois enquanto 1.893 funcionários foram contratados, 2.190 foram demitidos. Outro setor que obteve um saldo negativo foi o de Construção Civil, que encerrou o mês de maio deste ano com menos 143 postos de trabalho gerados.

Apesar da queda, há perspectiva de melhora no futuro e o momento para planejar ações é agora. A digitalização, por exemplo, vem sendo aprimorada neste momento por grandes empresas. É uma forma de tirar ensinamentos da pandemia e oferecer, futuramente, um serviço melhor ao cliente e menos burocrático para as próprias companhias. O setor de Construção Civil é visto como uma máquina propulsora para a economia no país, por isso, as empresas precisam desenvolver estratégias eficientes.

A modernização não vale apenas para a construção civil, mas todos os demais setores também necessitam tirar lições importantes para agilizar o funcionamento do mercado. Se por um lado a instabilidade gera insegurança, por outro, o cenário mostra que há possibilidade de crescimento. Exemplo disso, foram os setores de Indústria, Comércio e Agropecuária, que fecharam maio com saldos positivos.

Com a economia em frangalhos, não são todos os empresários que têm possibilidade de planejar métodos mais modernos e eficientes, mas, certamente, o período pós-pandemia trará algumas mudanças mercadológicas definitivas, puxadas pelas empresas que tiverem condição de aproveitar o atual momento para se planejar.