Vacina x mortes

O número de óbitos por coronavírus (Covid-19) tem aumentado no Alto Tietê, no entanto, esse indicador nunca irá diminuir, o que pode ocorrer - esperamos que isso aconteça - é a desaceleração desse aumento, que pode ter a vacina como causa principal.

Dados levantados pela reportagem durante a semana mostram que, até 20 de janeiro deste ano, foram registradas 1.947 mortes em todo o Alto Tietê; a partir do dia 21 de janeiro, já com a vacinação em andamento, até sexta-feira, foram 3.096 óbitos.

Os dados podem ser contraproducentes e fazer com que os negacionistas soltem aos quatro cantos que as vacinas não funcionam, o que não é verdade. Foi justamente durante esse período em que a novas variantes da Covid começaram a surgir, algumas delas mais letais do que a cepa original. Agora com a variante Delta, está sendo discutido se a vacina da Janssen, que é aplicada em dose única, deva, também, ser aplicada em duas oportunidades, mas isso é assunto para cientistas, médicos e biólogos.

O que é possível perceber é que a vacinação começou a engrenar quando essas variantes começaram a surgir e explodiram os casos de infecção e mortes, não só na região, mas em todo o Brasil. Antes do final do primeiro semestre, era possível ver hospitais com ocupação acima dos 90%. Agora esse cenário se inverteu, e a lotação raramente ultrapassa os 50%.

Ao menos por enquanto, a única dedução possível é que as vacinas estão surtindo efeito, embora tenha ocorrido esse boom de falecimentos no primeiro semestre, os óbitos começam a rarear e as infecções, por mais que ainda ocorram, são combatidas graças às vacinas, que diminuem a gravidade do coronavírus.

O momento é este: de confiar nas vacinas, que são os únicos "remédios" para impedir o avanço da pandemia. Com desaceleração das mortes, mesmo que as contaminações continuem altas, mas atenuada pela vacina, em breve tudo voltará ao normal. É claro, algumas coisas vieram para mudar um pouco o que já estava estabelecido, como o trabalho no local, que agora, ao menos alguns deles, podem ser feitos de forma remota, entretanto, o importante é saber que logo tudo estará melhor.