A terceira via

Afonso Pola
Afonso Pola - FOTO: Daniel Carvalho/Mogi News

Mesmo com as eleições de 2022 ainda um tanto distantes e com uma expectativa de polarização entre as candidaturas de Lula e Bolsonaro, o debate sobre o surgimento de uma chamada terceira via permanece no radar de partidos que não se inclinam por nenhum dos dois candidatos. Existe um esforço tremendo de algumas "lideranças" políticas para encontrar um nome que possa se mostrar viável.

Tarefa árdua para um extenso aglomerado de pessoas e interesses. Principalmente pela inexistência de uma liderança que canalize os apoios necessários para sua viabilização. Além de lideranças políticas, sempre se cogita nomes de pessoas famosas, mas que não orbitam o universo da política. São os chamados outsiders, indivíduos que não pertencem a um grupo determinado, no caso grupo político.

É importante ressaltar que uma eleição não é feita de vias. Ela se realiza a partir de candidatos que, em tese, devem representar as diferentes visões presentes na sociedade. Em todas as pesquisas divulgadas até agora, Lula está em primeiro lugar e Bolsonaro em segundo, mesmo existindo um cardápio extenso de postulantes ao cargo. Na última pesquisa Datafolha, Lula aparece com 46% enquanto Bolsonaro tem 25%. Em terceiro lugar aparece Ciro Gomes com apenas 8%.

Essa radiografia momentânea é expressão da intenção do eleitorado e isso precisa ser respeitado. Discutir a possibilidade de buscar um outro nome que seja fortalecido pelo apoio de um grupo de partidos é legítimo. Mas isso tem de acontecer no campo das ideias e propostas.

Temos um desafio imediato que é a defesa da democracia, pois ela está sob ataque. Nossas instituições ainda permanecem omissas diante de falas e ações de membros de um dos poderes que usualmente flertam com o golpismo. Creio ser esse o único divisor de águas existente hoje no âmbito da política.

Que as inúmeras candidaturas futuras se apresentem manifestando seu compromisso com a manutenção da democracia.

Creio ser esse o desejo da maioria da sociedade. E vença aquele que tiver mais votos.