Pela saudade, tesouros se colhe

Raul Rodrigues
Raul Rodrigues - FOTO: Daniel Carvalho

Poeta de boa cepa, do alto de sua majestade não deixa por menos: "Esta saudade que inspira que faz sofrer quem quer bem; essa saudade é mentira ela não mata ninguém!" Assim, sob essa ótica, em que condições se sente saudade? Saudade de pessoas que fizeram parte de nossas vidas e sumiram. Saudade de pessoas que só conhecemos virtualmente, algumas pessoas mais presentes no campo virtual do que outras conseguem ser no real.

Saudade, com o significado que lhe é atribuído, dizem: é uma palavra que existe só em português. Mas penso que é um sentimento que norteia muitos em muitos lugares. Impossível viver sem senti-la, pelo menos, uma vez.

Eu me interesso por gente, por suas histórias simples, pelo brilho no olhar; seja de um inocente recém chegado ao mundo, ou de olhos que como lâmpadas estão prestes a se apagar.

Como não sentir saudade de pessoas que nos deixam sem notícias, como o parceiro de ginásio, José Roberto Mello. Sintam, pessoas, como o mano, que tem além do nome, endereço, telefone, e que muitas vezes não se tem contato por uma bobagem, chamada tempo, que parece precioso demais para perdermos se não for por um bom motivo.

E vivemos uma época tão acelerada, tão consumista que a única motivação para alguns ainda parece ser o vil metal. Esquecem os incautos que dinheiro na mão não segura o caixão apenas o enfeita, paga as despesas, mas não compra lágrimas de alegria nem despedidas sinceras, pois amigos sinceros não estarão ali, já que não foram conquistados pelo coração e sim pelo interesse.

Sentir saudade exige uma boa capacidade de manter o coração em paz e as emoções positivas. Assim, saudade também é um exercício. Quem decide trabalhar junto à saudade, em vez de lutar contra ela, logo percebe esses benefícios. O tempo de reflexão, a valorização do que está distante, seja uma pessoa ou um lugar, as maneiras descobertas de abordar sentimentos e relacionamentos de forma mais saudável. Viver bem com a saudade exige esforço, mas vale muito a pena.