Desgostos de agosto II

Mauro Jordão
Mauro Jordão - FOTO: 00001

Francisco Alves, também cognominado "Rei da Voz", cantor de grande popularidade na primeira metade do século XX, nasceu em 19 de agosto de 1898 e faleceu num acidente de carro, na Via Dutra, em 27 de setembro de 1952 com 54 anos. Entre tantas gravações que fez, uma delas teve destaque por algum tempo após a sua morte, Adeus, Cinco Letras Que Choram: Adeus, adeus, adeus/ Cinco letras que choram/ Num soluço de dor./ Adeus, adeus, adeus/ É como o fim de uma estrada/ Cortando a encruzilhada,/ Ponto final de um romance de amor. / Quem parte tem os olhos rasos d'água/ Ao sentir a grande mágoa/ Por se despedir de alguém,/ Quem fica, também fica chorando/ Com o coração penando/ Querendo partir também./ Adeus, adeus, adeus. O jornalista Sérgio Augusto, no artigo "Agosto", relata fatos de guerras que aconteceram nesse mês trágico: batalha de Alcácer- Quibir, em que D. Sebastião perdeu a vida; os embates iniciais do Japão com a China por causa da Coreia; os primeiros ataques aéreos nazistas sobre Londres; a assinatura por Stalin e Hitler do Pacto de Não Agressão Germano-Soviético que durou pouco; os bombardeios nucleares de Hiroshima e Nagasaki; o inicio da 1ª. Guerra Mundial; a construção do Muro de Berlim; a invasão da Checoslováquia pelas tropas do Pacto de Varsóvia; o golpe militar na Bolívia em 1986; impeachment de Dilma Rousseff em 2016; Lula é considerado inelegível em 2018. Em 1890 a primeira vítima inaugurou a sinistra cadeira elétrica; na primeira semana de agosto de 1944 levaram Anne Frank para o campo de concentração; Sharon Tate foi morta por Charles Manson em 1969. Juscelino Kubitschek morreu em acidente automobilístico, na Via Dutra, em 1976. Todos estes morreram em agosto: Jorge Amado em 2001, Carmen Miranda em 1955, Drummond de Andrade em 1987, Marilyn Monroe em 62, Elvis Presley em 77, Nietzsche em 1900. Na carranca da morte sua bocarra medonha abocanhou em 31 de agosto de 1997 Lady Di, a Princesa de Gales, em um acidente de carro em Paris. Azar ou destino?

Mauro Jordão é médico