O poder da mentira!

Raul Rodrigues
Raul Rodrigues - FOTO: Daniel Carvalho

Não me levem a mal: não estou me baseando em ninguém! Toda mentira é devastadora! Produz descrédito, decepção e se insistir até, morte. Ela é nociva não apenas por causa de sua natureza perversa, mas, devido a sua origem maligna; diabólica se assim convier. Muito embora a mentira não acabe tendo pertinência, manca e de pernas curtas que é, ainda assim é muito praticada e produz males por demais sabidos.

A mentira tem como propósito enganar o outro. Seu intento é sonegar a verdade ao próximo para usurpar seus direitos. A mentira tem a ver, outrossim, com uma informação eivada de distorções, para maquiar os fatos, usurpar o próximo e colocar o retrato do mentiroso na moldura da integridade. Toda mentira é prejudicial, pois não pode existir comunicação saudável, nem relacionamentos confiáveis, onde a mentira estiver presente. Seus efeitos são desastrosos ao destruir a confiança: o alicerce das relações humanas!

O mentiroso destrói a si mesmo antes de atingir o próximo. Perde sua credibilidade, seu nome e sua alma antes de prejudicar os outros. Os mentirosos não entram para o rol daqueles que são coroados de respeito e dignidade. Os mentirosos são abomináveis na terra e não herdam os céus. Os mentirosos bebem o refluxo perverso do seu próprio fluxo maligno. Colhem os frutos malditos de sua própria insensata semeadura. Bebem o veneno que destilam de sua língua peçonhenta. Os mentirosos tropeçam em sua própria língua e cavam ai sua própria sepultura.

A mentira afronta a sociedade! Vivemos uma sociedade corrompida, que lança mão da mentira, nos palácios, nas redes, na academia, nos templos, na indústria, no comércio e na família. A mentira vem, muitas vezes, travestida de verdade. Sendo injusta, não raro, traja-se com a toga da justiça. Sendo perversa, às vezes, desfila na passarela da honra. A mentira, entretanto, é maligna em sua essência e devastadora em seus efeitos. Não há sociedade ordeira e justa onde a mentira se travista de verdade.

Raul Rodrigues é engenheiro e ex-professor universitário