Tempo seco é fogo

Este é um dos invernos mais secos dos últimos tempos no Brasil e, mesmo sendo uma época com maior período de estiagem do ano, há o alerta de que este é período mais seco dos últimos 90 anos, logo aparecem aumentos na conta de luz e na água e a palavra de ordem é economizar.

Há um outro aspecto disso tudo que são as queimadas. A falta de chuva favorece o aparecimento de focos de incêndio e basta uma pequena chama para acabar com a vegetação, haja vista o que ocorreu na região norte da Grande São Paulo, onde um incêndio devastou uma das poucas áreas de cerrado no Estado, em Franco da Rocha.

No Alto Tietê não há este tipo de vegetação, por uma proximidade maior com o oceano, o que margeia a nossa região é a Mata Atlântica, mais abundante do que o cerrado. Isso, no entanto, não impede que o Alto Tietê esteja livre de incêndio. Levantamento feito pela nossa reportagem mostrou que 105 casos de queimadas foram registrados na região desde o começo do ano.

Além de devastar o bioma, com a destruição da vegetação e de animais, o que já seria uma catástrofe de grandes proporções, o fogo pode avançar para as casas que são construídas à beira de rodovias, local com grande quantidade de focos de incêndio. Todos os anos campanhas são feitas junto à população para que evite jogar bitucas de cigarro dos carros que trafegam pelas rodovias Mogi-Dutra (SP-88), Mogi-Bertioga (SP-98), Ayrton Senna (SP-70) e Presidente Dutra (BR-116), isso para citar somente as mais movimentadas na região, mas ainda assim há quem mantenha esse hábito pouco saudável, tanto o de fumar quanto o de jogar bitucas.

Outro fator que contribuiu é a soltura de balões, que é crime, e que, inclusive, pode ter originado o fogo em Franco da Rocha. No Alto Tietê já houve grandes apreensões de balões e demais artefatos utilizados para a produção destes objetos, que por si só já é crime.

Acima de tudo, consciência. É preciso entender que nem tudo é culpa do poder público, a população também precisa se responsabilizar pelo meio onde vive, em segundo lugar, uma punição maior para aqueles que provocarem incêndios seria bem-vinda.