Pontos de internet

Não é a primeira vez que o governo federal confirmou a instalação de pontos de conexão de alta velocidade para comunidades afastadas dos bairros pertencentes às cidades do Alto Tietê. Segundo o Ministério das Comunicações, o trabalho vem sendo realizado em todo país. Cada vez mais necessária, a conexão à Internet se mostrou ainda mais fundamental neste momento de enfrentamento da pandemia da Covid-19, com trabalho remoto e com aulas nas escolas sendo realizadas da mesma forma.

O assunto estava esquecido desde 2017, quando o então presidente da República, Michel Temer (PMDB), prometeu a chegada do projeto Internet para Todos, a fim de "modernizar o Brasil". A iniciativa veio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), então dirigido por Gilberto Kassab (DEM), que chegou a vir ao Alto Tietê fazer o anúncio. Aqueles sem banda larga, conectividade ou com acesso precário à internet comemoraram, mas a promessa não se confirmou.

Agora, com mudanças nos protocolos adotadas para a instalação das antenas, não sendo mais necessária a desapropriação de terras, o programa Wi-Fi Brasil promete mais agilidade. As antenas com instalação conformada são na Escola Municipal João Batalha (na Chácara dos Baianos, Jundiapeba) e na Escola Municipal Bairro São João (na Estrada Ken Saito), e nas UBSs Santo Angelo (Conjunto Residencial Santo Angelo) e Biritiba Ussu (no distrito de Biritiba Ussu).

Segundo o gabinete do deputado federal, Marco Bertaiolli (PSD), cada antena tem o valor estimado de R$ 10 mil. Todo o processo de instalação das antenas será custeado pelo governo federal, sem a necessidade de investimentos pela administração municipal.

O investimento vale a pena e se faz ainda mais necessário neste momento de pandemia da Covid-19. Agora, esperamos que o mesmo programa da época de Temer, com novo nome no governo Bolsonaro, saia do papel. E, só depois disso, a população poderá comemorar e elogiar.