Juiz não, político

Afonso Pola
Afonso Pola - FOTO: Daniel Carvalho/Mogi News

O ex-juiz Sergio Moro se filiou ao Podemos no último dia 10. É claro que tal ação é enxergada como um passo para uma futura candidatura que, ao que tudo indica, pode ser ao cargo máximo da nação. Essa perspectiva deve ser confirmada ou não, de acordo com o seu desempenho nas próximas pesquisas. Na última pesquisa, divulgada em 10 de novembro (Genial/Quaest), Lula aparece com 48% das intenções de voto, seguido pelo presidente Bolsonaro com 21% e aponta Moro em terceiro com 8%, ainda em empate técnico com Ciro Gomes que tem 6%.

Não é muito difícil imaginar que os 29% que declaram voto em Bolsonaro e Moro estiveram juntos na eleição de Bolsonaro em 2018. Esses e mais 22,13% fizeram o total de votos recebidos pelo presidente (55,13%). É muito provável que o ex-juiz seja o candidato de boa parte da grande mídia, particularmente da Rede Globo. Temos aí um primeiro aspecto interessante a ser observado, já que os eleitores de Bolsonaro, em sua grande maioria, adoram compartilhar postagens acusando a Rede Globo de criticar o presidente para favorecer o PT e o Lula.

Num futuro cenário em que a candidatura Moro ganhe musculatura, é bem provável que esse ganho tenha alguns desdobramentos. O primeiro deles seria a inviabilização da chamada "terceira via". É bastante possível que alguns anunciados como pré-candidatos retirem seus nomes em favor dele, mas não todos. Ciro e Doria, caso vença a prévia do PSDB, devem manter a candidatura.

Um possível segundo desdobramento do fortalecimento da candidatura Moro, afeta diretamente o presidente. Bolsonaro e Moro devem disputar uma mesma faixa do eleitorado. Isso quer dizer que quando um subir nas pesquisas o outro deve cair. É o chamado efeito gangorra.

Creio que cada um deve ter muita munição contra o outro. Bolsonaro sabe coisas do Moro que nós não sabemos. E o mesmo pode ser dito do Moro em relação ao Bolsonaro. Agora só nos resta aguardar para ver quem tem maior arsenal. Estou ansioso para ver.

Afonso Pola é sociólogo e professor.