Falsidades e inseguranças

Olavo Câmara
Olavo Câmara - FOTO: divulgação

Já não se sabe mais em quem acreditar, pois há guerra entre laboratórios, profissionais da medicina, governos e outros segmentos. Alguns dizem que as vacinas são necessárias e produzem imunidades, outros argumentam que mesmo tomando três doses das vacinas muitos vieram a óbito e tiveram sequelas que jamais serão eliminadas.

Quanto às vacinas para as crianças, de um lado falam que prejudicarão e há aqueles que afirmam que são necessárias. Passando por uma farmácia se vê prateleiras com centenas ou até milhares de medicamentos à venda. Eis aí uma guerra entre laboratórios, fábricas de remédios e profissionais da saúde. Em quem devemos acreditar?

Não bastasse isso, há brigas e discussões entre os poderes. Considere-se que há nações que desejam diminuir a população global contribuindo para que alguns bilhões morram visando outros interesses que se desconhece.

É o peso da sociedade sobre o indivíduo. Há coisas que o indivíduo faz por grande influência da sociedade e acaba tendo uma mente alienada e não consegue se libertar. A influência da política, principalmente a política social, traz dissabores à vida individual e familiar. Como escapar das imposições e viver em liberdade? São desafios para a sociedade, para os seres humanos e para os cidadãos que desejam uma vida honesta.

O homem deve trabalhar sempre para ampliar as finalidades da vida e cooperar para que a sociedade se desenvolva com nobreza e cumpra missões justas. É o artificialismo em jogo levando a destruição e ao descrédito. A riqueza, o poder e a destruição da moralidade trazem complicações e acabam por diminuir o crescimento de uma nação e dos povos.

Entre todos os povos existem vadios, vagabundos e oportunistas, demagogos e agitadores políticos que não percebem e não colaboram para uma vida elevada, dinâmica em prol de todos os patriotas. Eis aí as razões porque tanta disputa sobre vacinas, laboratórios e guerras sobre a pandemia. O mundo está distante da palavra-chave amor. É vida de grandes desafios. Mas não se pode perder a fé.