Artigo

Devo, não nego...

José Renato Nalini
08/03/2022 às 05:30
Atualizada em 08/03/2022 às 05:30.
divulgação

José Renato Nalini - FOTO: divulgação

Fazemos blague de coisas sérias. Mas sabemos exatamente o que deveria ser feito. O agravamento da questão climática exige mais do que "simpatia". É preciso acordar enquanto é tempo e fazer o poder público honrar suas obrigações.

O aquecimento global é antrópico: deriva da ação humana. No Acordo de Paris, o Brasil se obrigou a reduzir as emissões de gás carbônico em 37% em relação a 2005, até 2025. E teria de reduzir em 43% até 2030.

Fortalecer o cumprimento da lei de 2012 que substituiu o Código Florestal, estimular políticas que levem ao desmatamento zero na Amazônia e demais biomas, compensar as perdas catastróficas da cobertura vegetal com rapidez e efetividade.

Aumentar a participação de bioenergia sustentável à matriz energética, para aproximadamente 18% até 2030, com expansão do consumo de biocombustíveis. Atingir a participação estimada de 45% de energia renovável na matriz energética até 2030 e garantir ao menos 10% de ganhos de eficiência no setor elétrico até o mesmo ano.

No transporte, obter medida de eficiência, melhorar a infraestrutura e renovar a frota do transporte público, que não poderia mais se servir de combustíveis sujos, não renováveis.

A agricultura não precisa ser a vilã, com o gado que emite metano por sua digestão e flatulência, inclusive através do esterco, mas adotar tecnologia que viabilize uma criação mais verde. O agronegócio precisa deixar de pensar só em si e assumir a missão de recuperar mais de quinze milhões de hectares devastados, com o plantio de espécies nativas. Há projetos como o plano de agricultura de baixo carbono - ABC e implantação do sistema de integração lavoura-pecuária-floresta, LPF, mas somos pródigos em firmar compromissos, normatizar, prometer e não cumprir.

Isso é o que faz lembrar o brasileiro que diz: "devo, não nego; pagarei quando puder". Só que a natureza não tem paciência. Ela já está mostrando o que virá, se a humanidade não tomar tento, continuar sem juízo.

José Renato Nalini é Reitor da Uniregistral, docente da Pós-graduação da Uninove e Presidente da Academia Paulista de Letras - 2021-2022

Quem Somos

Fundado por Paschoal Thomeu – circulou em 22 de novembro de 1975. Em 1992, o administrador de empresas e publicitário Sidney Antonio de Moraes adquiriu a marca e relançou o jornal em 27 de outubro. O projeto foi ganhando força e, em 23 de abril de 1997, o jornal, até então preto-e-branco e veiculado apenas uma vez por semana, passou a circular colorido e bissemanalmente. Em 18 de maio do mesmo ano, a circulação foi ampliada para trissemanal e, finalmente, em 21 de junho de 1997 concretizou-se o lançamento do Mogi News diário. São inúmeras ações que, aliadas à qualidade editorial e gráfica, consagram o Mogi News como o jornal mais lido e respeitado do Alto Tietê

Categorias
Entre em contato:

(11) 4735-8000
[email protected]
[email protected]
[email protected]

Av: Japão, 46 - sala 06 - Vila Ipiranga - Centro - Mogi das Cruzes

© 2022 Todos Os Direitos Reservados Ao Portal News