Acelera, vacina!

Mesmo pouco criativos, entretanto bem humorados, os títulos são os mais variados possíveis: Virada da Vacina, Mutirão da Vacina, Corujão da Vacina ou Xepa. Porém, o objetivo - nobre, por sinal - é um só: angariar o maior número possível de pessoas para a imunização contra a Covid-19. E a tática tem funcionado razoavelmente. Depois de um início modorrento, a vacinação no Brasil deu uma arrancada e já há uma perspectiva plausível de que até o início de outubro, quiçá final de setembro, toda a população adulta no país tenha recebido ao menos a primeira dose dos imunizantes.

Especificamente no Alto Tietê, os números estão bem acanhados. Em Mogi das Cruzes, por exemplo, de acordo com o site do governo de São Paulo, mais de 170 mil moradores já tomaram a primeira dose, dos quais 50 mil completaram a imunização com a dose de reforço. Proporcionalmente, eles representam, respectivamente, em torno de 37,7% e 11,1% da população, um pouco abaixo da maioria das cidades paulistas. No ranking estadual, Mogi ocupa a 482ª posição entre 645 municípios.

Por sua vez, Suzano já vacinou perto de 100 mil pessoas com a primeira dose, ou 32,6% dos moradores, o que o coloca no 594º lugar do Estado. Situação bem mais delicada vive Itaquaquecetuba, que imunizou pouco mais de 103 mil pessoas na primeira etapa. Esse total dá em torno de 27,6% dos habitantes, deixando o município na posição 633 de São Paulo, um dos piores desempenhos do Estado. Os melhores colocados do Alto Tietê são Salesópolis (272º lugar) e Guararema (292º lugar), com pouco mais de 42% dos moradores imunizados cada.

Como se pode perceber, mesmo com todo o esforço e criatividade nas campanhas desenvolvidas pelas administrações municipais, a vacinação, apesar da arrancada, ainda deve levar um tempo para completar o ciclo básico. Atualmente estão sendo vacinadas com a primeira dose as pessoas com 40 anos. Daqui para a frente o número de habitantes por faixa etária vai aumentar e obrigará a disponibilização de mais doses. As campanhas precisarão de muito mais agressividade e eficácia para alcançar o objetivo de cobrir toda a população adulta.

Deixe uma resposta

Comentários