Roer as unhas, e agora?

Essa atitude pode ter vários significados, do mais comum ao mais complexo, por curiosidade ou para diminuir o estresse, tédio ou até imitação.

Observe se a criança rói unhas de forma moderada (não se machuca) e inconscientemente (enquanto assiste TV), ou em situações específicas (uma tarefa difícil).

Descubra a origem do comportamento e investigue se existe algum fator estressante na vida da criança, mudança, separação na família, morte de ente querido, ente outros.

Converse sobre o que a preocupa. "Muitas tensões e pressões que as crianças sofrem na fase infantil, podem passar despercebidas para um adulto e isso gera ansiedade na criança".

Incentive-a a perceber quando e onde ela rói as unhas e faça alguns combinados com ela: um "sinal secreto" quando ela esquecer - um toque no braço, ou uma palavra-chave, um curativo na ponta do dedo também podem funcionar, pois chamam a atenção no momento em que vão roer a unha.

Para acalmá-la, os trabalhos manuais são uma ótima maneira de manter as mãos ocupadas e relaxar ao mesmo tempo. Para outras, aprender a tocar um instrumento também ajuda, ou leve a criança para correr e brincar bastante, de preferência ao ar livre.

Ansiedade excessiva se a criança roer as unhas até sangrar ou ficar com os dedos doloridos, procure ajuda do pediatra.

Seja amigo! Encoraja-a sempre!

fonte:blog.leiturinha