Olhar para a perseverança

O nosso corpo, elemento fulcral da constituição da nossa existência, é falível, é uma máquina que apresenta defeitos, que esmorece com o tempo. O câncer, esse termo tão pesado de negativismo, é um desses defeitos, mas não tem que ser o fim da linha, apenas o encurvar dela.

E quando a vida, na sua particular tirania, nos impõe tamanho desafio pela frente, é também de frente, e com toda coragem que vive em nosso coração, que o devemos olhar.

E lembre-se, cada vida é única, especial, insubstituível, e por ela devemos lutar até chegarmos aos limites das nossas forças!

Autor desconhecido

A mensagem publicada nem sempre está associada à pessoa homenageada