Caligrafia, sim ou não?

Letra ilegível? A caligrafia era usada no ensino tradicional, mas foi praticamente cancelada. O uso, com critérios, da caligrafia pode ser muito eficaz.

A criança na fase de alfabetização ainda não tem a coordenação fina estabelecida, ela passa a apresentar irregularidade no traçado das letras, o que é normal, as letras cursivas serão introduzidas quando a criança já estiver apropriada do alfabeto.

A todo o momento a professora de alfabetização deve ensinar o traçado correto das letras. No final do 1º ano, espera-se que a criança comece a se apropriar dos movimentos corretos da letra cursiva.

- Fatores que interferem: imaturidade, desmotivação, falta de conhecimento técnico, problemas emocionais graves...

- Fatores colaborativos: conhecimento técnico, maturidade, análise das dificuldades e encaminhamento aos profissionais adequadamente...

- A caligrafia será usada somente quando a criança passar da fase de alfabetização, usando o caderno e apresentando letras muito irregulares, onde o próprio aluno não identifica o que escreveu.

A criança poderá apresentar "distúrbio da escrita", como a "disgrafia", nesse caso exigirá mais atenção e intervenções adequadas.

O aluno não precisa ter letra perfeita, mas que seja legível para ele e para o leitor.